sexta-feira, 20 de junho de 2008

Cabelo Lindo

Cabelo Lindo

A gente garante: depois de ler este especial, vai ser difícil continuar com o cabelo danificado, maltratado e desnutrido. Comece desvendando o que há de melhor dentro de um frasco de xampu e, em seguida, descubra qual das quatro novas técnicas de hidratação é a mais indicada para ressuscitar seus fios.

Surpresa!
Muitas vezes o problema do cabelo ressecado e do danificado pela química pode ser amenizado (ou até solucionado) com algumas lavagens. Basta você escolher o xampu certo. Nós a ajudamos nessa tarefa.

XAMPU É A SOLUÇÃO
Todo mundo fala que o cabelo enjoa do xampu. Não é bem assim. O que ocorre é que, se você usa xampu para cabelo ressecado, por exemplo, ao longo das lavagens ele vai deixar de ser seco – afinal, está sendo tratado. E aí, se você insiste, ele dá sinais de que está saturado, que não precisa mais daqueles ingredientes. “Nesse caso, a solução é mudar para um xampu indicado para cabelo normal”, explica o dermatologista especializado em cabelo Valcenir Bedin, de São Paulo. Matar a charada não é difícil, mas é preciso prestar atenção no que diz seu cabelo. Se ele está pedindo água e você insiste em lavar a cabeça com xampu para cabelo oleoso, é claro que ele vai ficar cada vez mais seco – você está deixando de aplicar nos fios uma variedade de componente que, com certeza, o deixaria mais macio e bonito. O mesmo acontece com cabelo tingido e desbotado quando se usa um xampu anti-resíduos: a cor vai embora mais rápido ainda. “As pessoas escolhem os xampus nas gôndolas de farmácias da mesma forma que se automedicam”. “Por isso, não adianta o produto ser bom se o direcionamento for errado”, ressalta a terapeuta capilar Maira Carvalho, do salão By Maira System, no Rio de Janeiro.

Para Fios Ressecados
Fios secos não quebram ao meio, como os destruídos pela química, mas embaraçam facilmente, arrepiam e transformam a cabeleira numa montanha volumosa. Eles possuem pouca gordura natural, seja por ser encaracolados (a umidade não consegue chegar às pontas), seja pelo excesso de secador, chapinha babyliss, sol e cloro. Tudo isso, no balanço e na maciez.
Por isso, se o seu cabelo for crespo, encaracolado ou seco de dar nó, pode começar a reabilitação escolhendo um bom xampu com agentes condicionantes – da clássica lanolina (gordura extraída do pêlo dos carneiros) à dimeticona (o nome mais moderno do tradicional silicone). “Há alguns anos, os xampus não passavam de meros detergentes que removiam tudo de ruim (e de bom!) que estava sobre o fio. Mas houve muito investimento em fórmulas, que, além de limpar, também hidratam os fios, devolvendo a camada protetora e melhorando o aspecto do cabelo”, explica Flávio Kakimoto, bioquímico da Procter e Gamble.
Aproveite que as fórmulas realmente estão mais potentes e procure no rótulo do seu xampu outros componentes umectantes, como glicerina, manteiga de karitê, aloe vera, ceramidas, pro retinol A, óleo de macadâmia, óleo de amêndoas doces, hidrolisado de aveia. Todos esses ingredientes reduzem a perda da hidratação interna, captam a água do ambiente, estimulam a renovação celular e, de quebra, trazem o brilho e o balanço de volta.
Nesta fase de recuperação, quanto mais se usa o xampu adequado, mais o cabelo vai reter a umidade perdida. “Pela minha experiência, noto que xampu com grande quantidade de hidratantes transforma mesmo o cabelo seco. É como se eles garantissem uma pré-hidratação, não deixando os fios embaraçar na hora da lavagem”, diz o cabeleireiro Júlio Crepaldi, do salão Galeria, em São Paulo. É óbvio que por mais reestruturantes que sejam os xampus, quando o cabelo está muito ressecado, será necessário uma complementação. Adotar um condicionador da mesma linha, um leave-in e uma máscara reconstrutora são fundamentais.


Eles realmente funcionam

1) Repair Hair System Professional, Wella – Efeito triplo: as proteínas reparam, a glicínia nutre e o germe de trigo protege.
2) Shampoo Nutritivo, Vizcaya – Nutre a fibra capilar. Contém complexos de silicones e pró-vitamina B5.
3) Shampoo Inverno Defense, Skala – Mistura nutrientes, sais minerais e óleos essenciais.
4) Shampoo Dercos, Vichy – Reabilita os fios mais secos com um complexo poderoso de ceramidas e colágeno.
5) Kérastase Nutritive Bain Elastro-Curl – Indicado para cabelos cacheados, possui dimeticona e glicerina.
6) Shampoo Hidratação Revitalizante, Pantene Pro-V – As pró-vitaminas devolvem a umidade perdida.
7) Shampoo Gentle Wash, Clinique – Com proteínas de trigo e óleo de amêndoas, hidrata e evita pontas duplas.
8) Shampoo Fresh Curls, Redken – Um mix que tira o arrepiado dos cacheado: óleo de coco, mel e cálcio.
9) Hair Sensation Nutrition Intense, Lancôme – Com um complexo com proteínas de seda e ceramidas.
10) Reparação e Brilho Intenso Seda Ceramidas, Unilever – Cabelos opacos e quebradiços ganham brilho intenso com o poder restaurador das ceramidas.

Para fios com quimicas
Descolorir, alisar, tingir, fazer permanentes, reflexo. Por melhor que seja feito o processo, eles mexem com a estrutura interna do fio. E não tem jeito: o cabelo é destruído por dentro e o resultado aparece na hora de pentear – fios eriçados, porosos, quebrados. Portanto, para ajudar a recompor a fibra perdida, o ideal é usar um xampu específico para cabelo processado quimicamente. Ele devolve o brilho, a maciez e, dentro do possível, protege de novas agressões. Mas o que tem de diferente? Queratina e outras proteínas na fórmula. Ricardo Potye, técnico em cosméticos da Oito Brasil, distribuidora das marcas Paul Mitchell e L’anza, explica que o cabelo é basicamente formado de proteínas. Na verdade, o fio possui principalmente queratina e, em doses menores, mais de 18 tipos de aminoácidos, como biotina e cisteína. “Por isso, concentrado à base de proteínas são tradicionalmente empregados na restauração dos fios”, explica. É preciso ver no rótulo desse tipo de xampu ingredientes regeneradores, como a proteína do trigo, colágeno e queratina.
Além desses reconstrutores, as fórmulas podem ser enriquecidas com carboidratos, lipídios e minerais. O fato é que cabelo tratado quimicamente pede proteção. “É o caso de silicones e polímeros catiônicos, que, depositados sobre os fios, deixam o cabelo mais resistente”, ressalta Flávio Kakimoto. A saúde dos fios inclui a defesa contra radicais livres e raios solares. No frasco, antioxidantes e agentes fotoprotetores ajudam a proteger o cabelo dos danos da luz e do sol. Outros itens importantes na fórmula para os fios tingidos são os ingredientes que ajudam a prolongar a cor, como o tanino (usado tradicionalmente para curtir couro) e extrato de romã.
É lógico que um xampu sozinho não faz milagre. Ele precisa ser completado com um condicionador (da mesma linha!). É por isso que, além do xampu certo, cabelos quimicamente tratados pedem supertratamentos que agem mantendo a qualidade dos fios (veja as modernas técnicas de cauterização nesta edição).


Eles realmente funcionam
1- Colorvida, Capi Vida
– Com um complexo restaurador e nutritivo, devolve o brilho, protege e mantém a cor.
2- Shampoo Color Protector, NPPE – A formula com vitamina E, colágeno e queratina segura a cor e hidrata.
3- Protetor da Cor Koleston, Wella – Com extrato de amêndoa e filtro solar, mantém a cor e deixa os fios macios.
4- Cabelos Tinturados, Phytocitane – Hidrata, amacia e impedindo que os pigmentos e a água retida nos fios saem.
5- Shampooing Sublimateur à L’Extrait de Grenade, Klorane – O extrato de romã, rico em taninos, prolonga a cor e trata.
6- Shampoo para Cabelos Tingidos Interage, Natura – Trata o ressecamento e evita a perda da cor.
7- Realce de Tons, Ecologie – Ideal para cabeleiras loiras ou com reflexos claros. Contém extrato de algas marinhas.
8- Nutrients, OX – Colágeno, Vitamina E, queratina, tutano de boi: uma fórmula para hidratar e restaurar os fios.
9- Shampoo para Cabelos Coloridos ou com Mechas Biorene, Niasi – Com ação antioxidante, mantém a cor. Mel, proteína e extrato de girassol ainda reforçam a hidratação.
10- Shampoo Lightner, Shizen – Com filtro solar na fórmula, protege a cor dos cabelos loiros, descoloridos ou com mechas. Á base de óleo de girassol, camomila e erva-doce.

HIDRATAÇÃO PARA MANTER

Se o seu cabelo está quebradiço, opaco ou fragilizado pelas químicas, chapinhas e secadores, anime-se! Há novas técnicas que prometem devolver o brilho, a maciez e o balanço.

Não, não é para deixar de lado as tradicionais hidratações e banhos de creme que você costuma fazer em casa ou até mesmo no salão de quinze em quinze dias. Eles realmente funcionam e continuam na lista de prioridades para revigorar os fios. Contudo, podem não ser suficientes para recuperar o desgaste da fibra capilar, que acaba perdendo proteínas e umidade natural – principalmente no caso de cabelo de média a longo, cacheados, que recebe colorações ou outros processos químicos (relaxamento, alisamento, recondicionamento térmico, permanente). Também não servem quando as glândulas sebáceas estão turbinadas e deixam o couro cabeludo entupido, oleoso, escamando. Durante o Hair Brasil (uma feira realizada em março e que mostra o que há de novo e moderno em matéria de cabelo), descobrimos alguns tratamentos capazes de revitalizar a fibra perdida. Todos eles tiram proveito da proteína que compõe naturalmente os fios: a queratina na sua forma mais pura. Ela funciona como uma cirurgia plástica, recuperando o fio onde ele realmente precisa. Mas o jeito fazer a substância penetrar no fio, muda de uma técnica para outra. Por isso, veja qual dos processos é capaz de atender às necessidades dos seus fios.

INJEÇÃO DE QUERATINA
Você já deve estar cansada de ouvir falar de banhos de queratina líquida, tão em voga nos salões. “Quando os fios danificados recebem diretamente o produto, nós cabeleireiros não conseguimos o equilíbrio da proteína, pois ela age não só onde o cabelo necessita, mas também nas áreas saudáveis”, explica o cabeleireiro Robson Trindade, do Jacques Janine. O pulo-do-gato dessa nova técnica é miniaturizar a molécula de proteína. Menor, ela penetra apenas onde é necessária, reconstituindo o fio. “Depois, para manter, basta usar em casa xampus e condicionadores especiais”, orienta Robson. Há duas formas de fazer com que as partículas mínimas de queratina entre nos fios.

SISTEMA UOM, DA TÂNAGRA DO BRASIL.
Um aparelho parecido com o da inalação, acoplado a uma escova retangular, transforma a queratina líquida em névoa. Ela penetra nas fissuras da fibra capilar, regenerando-a.
Como é feito: o cabelo é lavado com xampu anti-resíduos e secado levemente. A escova com a névoa é passada mecha por mecha. Em seguida, usa-se novamente o secador por uma substância finalizadora (que é colocada no aparelho) e passa-se a escova retangular novamente. O processo dura em média 35 minutos.
Indicação: cabelo com qualquer tipo de processo químicos ou danificados por excesso de sol, cloro e aparelhos térmicos.
Número de sessões e preço: no mínimo quatro sessões (uma vez por semana). Custa em média R$ 105,00 cada uma.
Retoque e manutenção: use xampus e condicionadores livres e corantes e sal. Repita o processo a cada dois meses.
[www.tanagra.com.br]

SISTEMA RED IRON, DA SEMO COSMETIC
Também conhecido como selador de cutículas e cauterização do fio, esse processo recorre a chapinha para fixar a proteína dentro da estrutura capilar. “Confeccionada em cerâmica, ela potencializa a penetração e a selagem da substância”, explica a cabeleireira Nancy Hayashi, do salão Visage, em São Paulo.
Como é feito: o cabelo é lavado com xampu de limpeza profunda, condicionado com queratina pura e protegido por um gloss que reforça a cutícula durante o processo térmico. Dez minutos depois, é passada a chapinha nos fios úmidos. Em seguida, é aplicada uma máscara de soja e colágeno durante 12 minutos. Por fim, o cabelo recebe mais uma dose de gloss e chapinha e é enxaguado. O tratamento dura aproximadamente 60 minutos.
Indicação: para todos os tipos de cabelo, em especial cabelo loiro, com bastante química ou muito compridos.
Número de sessões e preço: três sessões. A primeira e a segunda aplicação devem ser feitas no espaço de uma semana. A terceira, depois de 15 dias. Cada custa em média R$ 60,00.
Retoque e manutenção: xampus e condicionadores para cabelo da linha Red Iron ou para cabelo normal.
[www.semocosmetics.com.br]

LIMPEZA PROFUNDA
Quem tem a raiz do cabelo oleosa e as pontas danificadas precisa antes de mais nada limpar a área (no caso, o couro cabeludo). “As hidratações comuns tratam apenas os fios, mas esquecem o couro”, explica a terapeuta capilar Mônica Rolim, do Hans Coiffure, do Rio de Janeiro. Substâncias como a argila, enxofre, jaborandi e auxina tricógena agem eliminando caspa e oleosidade. “Esse tratamento também é indicado para excesso de seborréia, queda e fios enfraquecidos”, diz a cosmetóloga paulista Edy Guimarães. Depois de ser feita a purificação capilar, aí sim, entra em ação a aplicação de queratina pura.

PENTE ELÉTRICO E NETTOYAGE
Esse é um tratamento aplicado por cabeleireiros e esteticistas. A manipulação das substâncias varia de profissional para profissional, dependendo do que o couro cabeludo está precisando. “Enxofre para caspa, jaborandi para queda, etc.”, explica a cabeleireira Titã Rodrigues, do salão Chalé Capelli, no Rio de Janeiro.
Como é feito: o couro cabeludo é massageado, estimulando a circulação. Para abrir os poros do couro, usa-se um pente elétrico que espirra ozônio – esse gás é bactericida e higieniza o cabelo. Em cada mecha é aplicada uma loção escolhida pelo profissional. “Uso extrato vegetal de auxina tricógena, que potencializa o crescimento dos fios”, diz Edy Guimarães. Em seguida, é aplicada uma máscara de queratina nos fios, que ficam no vapor por 20 minutos. O tratamento dura uma hora.
Indicação: para queda de cabelo, fios enfraquecidos, oleosos.
Número de sessões e preço: no mínimo dez sessões. Cada custa, em média, R$ 68,00. Repita a dose a cada dois meses.
Retoque e manutenção: a manutenção é feita em casa com xampus e condicionadores indicados para seu problema.
Onde fazer: em São Paulo, na Edy Guimarães Unidade Integrada de Beleza; no Rio de Janeiro, no salão Chalé Capelli.

ARGILA PODEROSA
Nada de cair de cabeça na lama. A argila em questão é a verde ou a rosa que tem ação seborreguladora. “Gosto de usar a argila rosa, pois ela pesa menos nos fios que a verde”, diz Frann Macedo, do Frann Cabeleireiros, em Santo André, SP. Em geral, são usadas as máscaras de argila da Vita Derm e da Dermo Hair.
Como é: nos fios sujos é aplicada a máscara no couro cabeludo durante 15 minutos, até o produto endurecer. O cabelo é enxaguado e lavado com xampu purificador. Em seguida, as madeixas ganham um banho de queratina, proteína e aminoácidos, fixados com vapor de ozônio. O tratamento dura uma hora.
Indicação: para quem tem raiz oleosa e pontas secas.
Número de sessões e preço: a terapia deve ser feita de 15 em 15 dias (recomendam-se dez aplicações). Cada sessão custa de R$ 30,00 a R$ 50,00, dependendo do estado do cabelo.
Retoque e manutenção: em casa, use xampus e condicionadores específicos para seu tipo de cabelo. E, sempre que sentir os fios pesados e engordurados, repita o tratamento.
Onde fazer: em São Paulo, no Frann Cabeleireiros; no Rio de Janeiro, no Hans Coiffeur. Informações na Vitaderm e na Dermo Hair.

Um comentário:

Saionara disse...

Pessoal alguém conhece a ampola age recharge da kerastase??
E a máscara masquitense..
Aguardo comentários..

Related Posts with Thumbnails